Brasil é um dos maiores investidores em energia renovável no mundo

(Foto: Aluísio Moreira/ SEI)

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) divulgou, na semana passada, um novo relatório sobre as tendências mundiais em investimentos em energia renovável.

O documento revelou que foram investidos US$ 286 bilhões em energias renováveis em 2015 – primeiro ano em que países em desenvolvimento investiram mais em energias limpas do que as nações desenvolvidas.

Apenas os investimentos da China, Índia e do Brasil somados registraram um aumento de 16%, alcançando US$ 120,2 bilhões no ano passado. Deste valor, os recursos brasileiros somam US$ 7 bilhões, sendo que a maior parte dos investimentos foi em energia eólica (US$ 5,7 bilhões), seguida pela energia solar (US$ 657 milhões).

Ao todo, foram produzidos 240 gigawatts (GW), número maior que o dobro do registrado para os recursos gastos com carvão e gás e que impediu a emissão de 1,5 gigatonelada de gás carbônico na atmosfera.

Elaborado em parceria com o organismo de Finanças de Nova Energia da Bloomberg (BNEF), o Centro de Colaboração para o Clima e o Financiamento de Energia Sustentável da Escola de Frankfurt, o estudo também mostrou que as energias solar e eólica foram as que mais receberam investimentos e geraram 118 GW.

Para o diretor-executivo do PNUMA, Achim Steiner, “o acesso à energia limpa e moderna é de enorme valor para todas as sociedades, mas especialmente em regiões onde a energia confiável pode oferecer profundas melhorias para a qualidade de vida, o desenvolvimento econômico e a sustentabilidade ambiental”, afirmou.

Para ler o relatório na íntegra, acesse: http://fs-unep-centre.org/sites/default/files/publications/globaltrendsinrenewableenergyinvestment2016lowres_0.pdf (em inglês).

** Com informações do PNUMA