Fernando de Noronha deve dobrar uso de energia limpa

(Foto: Unsplash)

Preocupação ambiental deve receber novos investimentos do governo para preservar a região, que se tornou um dos destinos turísticos mais famosos do Brasil

O governo de Pernambuco aprovou um termo de cooperação com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) para ampliar as ações de sustentabilidade e preservação da Ilha de Fernando de Noronha.

Além do investimento em concurso PE para aumentar o quadro de funcionários das empresas estatais que cuidam da infraestrutura de Pernambuco, o governador Paulo Câmara, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), organizou a cooperação para a criação de energia limpa na ilha, que se tornou um dos destinos turísticos mais cobiçados do país.

Entre as iniciativas previstas no acordo está o acionamento de dois novos módulos de baterias solares fotovoltaicas, que poderá dobrar o uso de energia limpa nos horários de pico, diminuindo ainda mais as emissões de CO2.

Desenvolvimento responsável

O investimento em sustentabilidade é uma maneira de equilibrar as questões econômicas, sociais e o respeito ao meio ambiente. Com o sucesso crescente de Fernando de Noronha como um dos destinos mais buscados no país, é importante que o governo continue a investir em maneiras de oferecer infraestrutura de forma limpa e sem prejudicar a biodiversidade natural da região.

Detalhes do acordo de cooperação

Para proteger os interesses da própria população, o documento estabelece alguns compromissos nessa cooperação, como a necessidade de reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). Além disso, a preocupação em reduzir a emissão de GEE é também um passo do projeto “Noronha Carbono Zero”, que tem o objetivo de se tornar um território neutro na emissão desses gases, que são uma das razões do aquecimento global.

Serão cerca de R$ 19 milhões captados pela Celpe em conjunto com a Agência Nacional de Energia Elétrica para a compra de veículos que funcionem com energia limpa, além do investimento em 13 ecopostos, que deverão abastecer os carros com a energia produzida na região.

O acordo também estabelece que será criada uma equipe multidisciplinar para implementar e monitorar as atividades no local, garantindo que tudo está sendo usado adequadamente, a fim de conseguir reduzir as emissões.

Consumo de energia limpa

Atualmente, o consumo de energia limpa corresponde a 10% do total da ilha, que já conta com duas usinas solares e mais nove sistemas de geração distribuída, que usam painéis fotovoltaicos.