Fernando de Noronha quer deixar de impactar o clima

(Foto: RODRIGO LÔBONEO ENERGIA/ Divulgação)

O plano de Fernando de Noronha é reduzir pela metade as emissões nos próximos 12 anos e se tornar o primeiro território neutro em carbono do Brasil até 2050. Com isso, ela deixará de impactar o planeta com a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera e, assim, evitará contribuir com o aquecimento global.

Para chegar a isso, será preciso mudar radicalmente sua matriz energética, implementar uma frota de veículos elétricos e convencer as companhias aéreas que voam na ilha a adotarem combustíveis mais amigos da natureza.

Arquipélago emite quantidade de gases de efeito estufa equivalente à de países industrializados. O levantamento, divulgado em 2013, apontou que Fernando de Noronha havia emitido no ano anterior, por habitante, 9 tCO2e (toneladas de carbono equivalente, métrica usada para comparar as emissões de gases de efeito estufa). É um valor acima do número brasileiro médio (6,54, em 2010) e similar ao de países como Alemanha e Japão.

“Fizemos um trabalho de inventário das emissões de gases no arquipélago em que identificamos três grandes grupos promotores da pegada ecológica. O transporte aéreo corresponde a 54,74% das emissões, o setor elétrico a 29,21% e o transporte interno na ilha a outros 8,73%”, explica o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, Carlos André Cavalcanti.