França cria conselho para combater ação climática e zerar emissões

energy-2181904_1920
(Foto: Pixabay)

O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou a criação do Alto Conselho para a Ação Climática, que vai aconselhar o governo sobre suas políticas de energia e clima, de forma independente, e acompanhar o avanço para neutralizar as emissões de poluentes do país.

O novo plano de transição energética pretende estimular o investimento de energias renováveis e fechar as termoelétricas a carvão, mantendo a energia nuclear, para neutralizar as emissões até 2050.

A meta até 2030 é triplicar a capacidade eólica da França com a instalação de mais de 30 GW e quintuplicar a capacidade fotovoltaica, com a instalação de 40 GW. Para a expansão, o governo aumentará o investimento de 5 milhões de euros para 8 milhões de euros.

Ao contrário da Alemanha, Macron adiou a redução do uso de energia nuclear para 50% da matriz energética francesa, para priorizar a eliminação do carvão.

“A energia nuclear atualmente nos permite usar uma energia de baixo carbono e baixo custo. Eu não quero que o fechamento das usinas nucleares leve as usinas de carvão a serem fechadas mais lentamente”, disse o presidente francês em referência à Alemanha.

Macron ainda reafirmou o seu compromisso de fechar definitivamente todas as usinas de carvão na França até 2022, mas o objetivo de fechar 14 usinas nucleares foi adiado para 2035.

** Com informações da Reuters