Países do G20 planejam investir mais de US$ 1,6 trilhão em gás

Foto: Sam Jotham/ Unsplash)

Os países do G20 deverão investir mais de US$ 1,6 trilhão em novos projetos de gás até 2030, colocando em risco as metas climáticas estabelecidas no Acordo de Paris, revela novo relatório da Oil Change International e endossado por mais de 20 organizações em todo o mundo.

Os Estados Unidos, Rússia, Austrália, China e Canadá deverão ser responsáveis ​​por 75% do capital investido na produção de gás nos países do G20 entre 2018 e 2030.

Segundo o documento “Debunked: The G20 Clean Gas Myth”,  a noção de que o gás fóssil possa ser um “combustível de transição” para um clima estável é um mito.

Isso por que as emissões dos campos de gás, petróleo e carvão existentes já excedem os orçamentos de carbono alinhados com o Acordo de Paris. Mesmo que todas as minas de carvão fossem fechadas amanhã, o gás e o petróleo em campos já desenvolvidos ultrapassariam a meta do tratado.

“O mundo não tem tempo nem espaço para usar o gás como combustível de transição. Precisamos descarbonizar totalmente até 2050 se quisermos ter uma boa chance de evitar que a crise climática atinja níveis catastróficos. E isso significa eliminar o uso de todos os combustíveis fósseis o mais rápido possível. Aqueles que defendem o aumento da produção e do consumo de gás na transição são convenientemente ignorantes da ciência ou deliberadamente falaciosos”, alerta Lidy Nacpil, Coordenadora do Movimento dos Povos Asiáticos sobre Dívida e Desenvolvimento.

O relatório pode ser encontrado em http://priceofoil.org/debunked-g20-clean-gas-myth.