Programa levará energia solar a comunidades da Amazônia

(Foto: Pixabay)

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente Jair Bolsonaro lançaram o Programa Mais Luz para a Amazônia (MLA), iniciativa que pretende expandir o uso de energia elétrica na região da Amazônia Legal.

O programa vai instalar painéis fotovoltaicos nas comunidades que não tem acesso às redes de distribuição convencionais, em sua maioria, ribeirinhas, indígenas e quilombolas.

Segundo o ministro Bento Albuquerque, serão investidos mais de R$2 bilhões em energia renovável para atender as áreas isoladas até 2026. O governo estima que 70 mil famílias, cerca de 300 mil brasileiros, que vivem na Amazônia Legal – composta pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Tocantins e Maranhão – serão beneficiadas.

A expectativa é que as comunidades desenvolvam atividades produtivas que podem proporcionar o incremento da renda familiar e, consequentemente, melhorem a qualidade de vida.

A iniciativa também pretende reduzir o consumo de combustíveis fósseis, auxiliar na fixação das comunidades tradicionais e na preservação ambiental, como previsto nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2030 das Nações Unidas (ONU).