Subsídios para painéis solares podem chegar a R$1 bilhão

(Foto: Pixabay)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estima que os subsídios concedidos a usuários de painéis solares serão de R$1 bilhão em 2021, mesmo valor destinado ao Nordeste para bancar tarifas mais baixas.

O custo será embutido na conta de luz de todos os brasileiros. Em 2020, os consumidores poderão pagar o valor de R$20,6 bilhões para bancar ações e subsídios do setor elétrico.

Atualmente, a instalação para um sistema residencial tem um custo inicial de R$15 mil. O subsídio dado a energia solar é de R$400 milhões e é bancado pelos consumidores que não têm painéis solares em suas casas. Com o crescimento da procura, a Aneel estima que o subsídio atinja R$4 bilhões em 2027.

A agência pretende revisar as regras de incentivo. Desde 2012, a Aneel usa um sistema de compensação, em que quando a energia gerada for superior à consumida, o consumidor vende o excedente através da rede de distribuição e recebe um crédito para diminuir a fatura em meses seguintes. Os que geram mais do que consomem apenas pagam uma taxa mensal de cerca de R$ 50. 

A nova proposta da Aneel é reduzir a compensação de créditos para o consumidor que utiliza a energia solar. Além de criar uma taxa de 60% sobre a produção, diminuindo os benefícios de quem quer investir no sistema. A iniciativa está em consulta pública até o dia 30 de novembro.

Para o setor solar, o crescimento pode ser estrangulado, se a agência aprovar as novas regras.

** Com informações da Época Negócios