Fragmentos de óleo já atingiram mais de 940 pontos do litoral

(Foto: Governo de Sergipe)

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) registrou a presença de fragmentos de óleo em 942 pontos do litoral do Nordeste, Espírito Santo e Rio de Janeiro, desde o dia 30 de agosto.

O órgão ambiental mudou a metodologia para registrar os locais. Agora, o conceito de localidade se restringe a uma área de até 1 km ao longo da costa. Desta forma, uma praia com uma faixa de 5 km tem cinco localidades.

A origem da substância ainda é desconhecida e as investigações não determinaram quem é o responsável pelo desastre ambiental.

Em novembro, a Polícia Federal apontou o navio grego Boubolina como suspeito pelo derramamento de óleo. A empresa responsável pela embarcação no Brasil, a Delta Tankers, negou que o navio está envolvido.

Desde então, a Marinha não divulga novidades sobre a investigação. O comandante de Operações Navais da Marinha, Leonardo Puntel, afirmou que não há provas que identifiquem o responsável pelo vazamento.

** Com informações do G1