Governadores da Amazônia pedem apoio internacional ao Papa Francisco

(Foto: Pixabay)

Um grupo de governadores de estados da Amazônia entregou ao Papa Francisco uma carta em que reconhecem que a floresta está ameaçada, pedem mais apoio a comunidade internacional com “ações concretas de financiamento” e se comprometem a promover uma “economia verde”.

A declaração foi preparada durante uma reunião de governadores dos países com territórios na Amazônia, no Vaticano, após o Sínodo dos Bispos.

No documento, os países ressaltam que as nações desenvolvidas “devem ampliar seus compromissos de financiamento, de forma a reconhecer o valor dos serviços ambientais da Amazônia”.

Os governadores também defendem “a soberania dos países amazônicos”, mas dizem que “isso não deve servir de escuro para que os governos não cumpram suas obrigações de proteger os direitos humanos e preservar a natureza”.

Eles pedem ainda a ampliação das metas do Acordo de Paris e propõem permitir que a Amazônia possa respeitar “a inclusão socioeconômica” e “a cultura dos povos”.

Assinaram a declaração os governadores: 

  • Antônio Waldez Góes, governador do Amapá
  • Helder Zahluth Barbalho, governador do Pará
  • Wellington Dias, governador do Piauí e representante do Consórcio Nordeste
  • Wilson Miranda Lima, governador do Amazonas
  • Flávio Dino de Castro Costa, governador do Maranhão
  • Francisco Antonio Pezo Torres, governador de Ucayali (Peru)
  • Juan Manuel Alvarado Cornelio, governador de Huánuco (Peru)
  • Pedro Bogarin Vargas, governador de San Martín (Peru)

** Com informações do G1