Governo acusa ONGs de comandar crimes ambientais no Brasil

desmatamento Amazõnia
(Foto: Unsplash)

O presidente Jair Bolsonaro disse que organizações, em parceria com “algumas ONGs”, comandam crimes ambientais no Brasil e no exterior, em discurso gravado para a cúpula sobre biodiversidade da Organização das Nações Unidas (ONU). Entretanto, ele não apresentou provas ou nomes de ONGs que estariam por trás dos crimes.

Bolsonaro ressaltou que o governo tem agido para combater os incêndios e o desmatamento, com programas como a ‘Operação Verde Brasil 2’. que logrou reverter, até agora, a tendência de aumento da área desmatada observada nos anos anteriores. Vamos dar continuidade a essa operação para intensificar ainda mais o combate a esses problemas que favorecem as organizações que, associadas a algumas ONGs, comandam os crimes ambientais no Brasil e no exterior”.

O presidente afirmou que é soberano na porção do seu território coberto pela floresta Amazônica. “Rechaço, de forma veemente, a cobiça internacional sobre a nossa Amazônia. E vamos defendê-la de ações e narrativas que agridam a interesses nacionais. Não podemos aceitar, portanto, que informações falsas e irresponsáveis sirvam de pretexto para a imposição de regras internacionais injustas, que desconsiderem as importantes conquistas ambientais que alcançamos em benefício do Brasil e do mundo”, acrescentou.

Em suas redes sociais, Bolsonaro respondeu as declarações do candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre os desmatamentos na Amazônia.

“O que alguns ainda não entenderam é que o Brasil mudou. Hoje, seu Presidente, diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. NOSSA SOBERANIA É INEGOCIÁVEL”, disse.

“Meu governo está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia. Cooperação dos EUA é bem-vinda, inclusive para projetos de investimento sustentável que criem emprego digno para a população amazônica, tal como tenho conversado com o Presidente Trump”, acrescentou.