Greenpeace lança nota de R$ 2,3 milhões em alerta sobre o Pantanal

(Foto: Divulgação Greenpeace)

Um bioma inteiro ameaçado de extinção. Esta é a imagem de nota de R$ 2,3 milhões que o Greenpeace lança, em um protesto virtual, para mostrar o real valor do descaso com o meio ambiente. O valor se refere à quantidade de hectares destruídos até o momento com o incêndio no Pantanal.

Somente nos 20 primeiros dias de setembro, o Pantanal registrou 5.820 focos de calor, um aumento de 101% em relação a setembro todo do ano passado. Além do Pantanal, a Amazônia também já registrou 27.486 focos entre os dias 1 e 20 de setembro, um aumento de 37% em relação ao mês de setembro inteiro de 2019.

“É devastador observar o quanto o Brasil está em chamas e vamos pagar uma conta muito alta por isso. A situação saiu do controle e atingiu um nível lamentável por conta do descaso das autoridades, colocando em cheque o nosso futuro, a biodiversidade e o clima. Precisamos urgentemente de medidas efetivas de curto, médio e longo prazo para combater e prevenir o desmatamento e as queimadas. O nosso patrimônio está sendo transformado em cinzas e essa nota é uma forma de alertar os brasileiros sobre a escala da destruição. Não são apenas nossos biomas queimando, mas também a nossa economia e o nosso futuro”, afirma Cristiane Mazzetti, porta-voz de florestas do Greenpeace.

“As notas do Real trazem sempre uma espécie brasileira ameaçada de extinção e desta vez, fizemos referência a um ecossistema inteiro que está em risco. Criamos a hashtag #NotadoPantanal para envolver a população nesta causa e engajar as conversas nas redes”, afirma Bruno Brux, ECD da Agência GUT, responsável pela criação da nota.