Impacto das mudanças climáticas é tema principal em Davos

(Foto: Unsplash)

Confrontos econômicos, a turbulência geopolítica, a polarização política doméstica e a retirada do multilateralismo ameaçam a capacidade do mundo de enfrentar os impactos causados pela mudança climática.

A conclusão é do Relatório Global de Riscos 2020 do Fórum Econômico Mundial, publicado nesta quarta-feira (15), que convidou mais de 750 especialistas e tomadores de decisão globais para classificar suas maiores preocupações.

Pela primeira vez, as cinco maiores preocupações, por probabilidade, registradas no relatório são ambientais: eventos climáticos extremos; falha na mitigação e adaptação às mudanças climáticas por governos e empresas; danos e desastres ambientais, como vazamentos de petróleo e contaminação radioativa; grande perda de biodiversidade e colapso do ecossistema; e desastres naturais graves.

O relatório também aponta armas de destruição em massa, crises hídricas, ataques cibernéticos em larga escala, quebra de infraestrutura, crise de alimentos e desemprego como riscos globais.

De acordo com o relatório, 78% dos entrevistados disseram esperar que “confrontos econômicos” e “polarização política doméstica” aumentem em 2020.

O documento alerta que, a menos que os stakeholders se adaptem às mudanças, o tempo vai se esgotar para enfrentar alguns dos mais prementes desafios econômicos, ambientais e tecnológicos.

“O cenário político está polarizado, o nível do mar está subindo e os incêndios climáticos estão incinerando. Este é o ano em que os líderes mundiais devem trabalhar com todos os setores da sociedade para reparar e revigorar nossos sistemas de cooperação”, avalia Borges Brende, presidente do Fórum Econômico Mundial.

A sustentabilidade é o tema principal da edição deste ano do Fórum e acontece em um momento em que, principalmente, as gerações mais jovens estão exigindo e pressionando empresas e investidores a agir contra às mudanças climáticas.

O relatório destaca que as pessoas nascidas após 1980 classificam os riscos ambientais em um grau mais elevado do que outros entrevistados, a curto e longo prazo. Quase 90% acreditam que “ondas de calor extremo”, “destruição de ecossistemas” e “saúde impactada pela poluição” serão agravadas em 2020. Também acreditam que o impacto dos riscos ambientais até 2030 será mais catastrófico e mais provável.

O Relatório Global de Riscos 2020 completo pode ser lido na íntegra clicando aqui.