Impactos do óleo na cadeia alimentar serão avaliados pelo governo

(Foto: Pixabay)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou que o governo analisará os efeitos do óleo, que atinge o litoral nordestino, na cadeia alimentar marítima.

Mandetta afirmou que o óleo possui uma quantidade baixa de compostos químicos “infinitamente inexpressiva” nos alimentos, em relação às dimensões oceânicas. 

Entretanto, há casos de pessoas com problemas de saúde após terem contato com o material encontrado nas praias. Entre os sintomas apresentados estão: irritação na pele, coceira, alergia e inalação.

Segundo o ministro, os resíduos têm características diferentes de outros tipos de óleo que costumam ficar na superfície e que podem ser retirados com bombas de sucção.

“Se isso não flutua, é preciso ver como está a parte de baixo, e se está afetando a cadeia alimentar; se tem impregnação no coral ou no fundo”, explicou.

O Ministério da Saúde trabalha junto com a Secretaria da Pesca, do Ministério da Agricultura para fazer a análise da cadeia alimentar, que inclui pescado, ostra, mexilhão e lagosta.

** Com informações da Agência Brasil