Indígenas e políticos reagem ao discurso de Bolsonaro na ONU

(Foto: Reprodução Tv Brasil)

Nesta terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro discursou diante de chefes de Estado e de governos internacionais, na abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

Representantes de comunidades indígenas, como Sonia Guajajara, Cris Pankararu e Artemisa Xakriaba, criticaram o discurso. Bolsonaro afirmou que “muitas vezes” líderes indígenas são “usados como peça de manobra” por governos estrangeiras.

“Não estamos sendo usados por ninguém, estamos atendendo o clamor da mãe terra”, disse Sonia Guajajara

Para a indígena, a representante dos povos indígenas que esteve na ONU com Bolsonaro, Ysani Kalapalo, não tem legitimidade nem para representar a sua própria nação.

“Nós, povos indígenas no Brasil, somos diversos, são 305 povos. Não podemos exigir que todos tenham o mesmo pensamento. Ela pode ser alguém que representa o governo dela, não os indígenas”, afirmou.

Os políticos também se manifestaram nas redes sociais.

Marcelo Freixo, deputado federal  “Bolsonaro não se comporta como presidente de uma nação, mas como um líder fanático que só fala para os seus. É um falso patriota. Mentiu no discurso da ONU, ofendeu o cacique Raoni e os indígenas, atacou a imprensa. Confirmou ao mundo que é inimigo da democracia.”

Orlando Silva, deputado federal (PCdoB-SP) – “Bolsonaro está utilizando a tribuna da ONU para fazer um discurso para a sua bolha nas redes: não há fogo na Amazônia, os problemas são de governos anteriores, ONGs, socialismo, Lula, Cuba, Venezuela e blábláblá. Só groselha.”

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), senador – “Vergonhoso! Não tem outra palavra para expressar o discurso do Sr. @jairbolsonaro na ONU. Defende ditadura, ataca a Amazônia e os povos indígenas. Fala grosso com os povos da floresta e fino com desmatadores. O Brasil nunca passou tanta vergonha na ONU! Bolsonaro foi até lá culpar nossos indígenas pela sua gestão ridícula da crise na Amazônia, atacou nações que nos ofereceram ajuda, defendeu a ditadura militar e esbravejou asneiras ideológicas diante do mundo! Vexame!”

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública – “Discurso assertivo na ONU, pontos essenciais, soberania, liberdade, democracia, abertura econômica, preservação da Amazônia, oportunidades e desenvolvimento para a população brasileira.”

Luiz Carlos Heinze, senador – “Parabéns ao presidente @jairbolsonaro pelo discurso em defesa da nossa soberania. Nossa Amazônia é maior que toda a Europa Ocidental e permanece praticamente intocada. Prova de que somos um dos países que mais protegem o meio ambiente”. Uma verdade que o mundo precisa assimilar.”