Índios devem ser protagonistas na proteção da biodiversidade, diz G7

(Foto: Divulgação)

Os ministros do meio ambiente do G7 assinaram a Carta de Metz sobre biodiversidade, um documento em que se comprometem a preservar a biodiversidade e que servirá de base para futuras políticas públicas ambientais no mundo.

Segundo o texto, a biodiversidade passa a ser um fator tão importante quanto o clima em políticas públicas e os povos indígenas e comunidade tradicionais devem ter o seu trabalho reconhecido “nos avanços da conservação e do uso sustentável”.

Os países também se comprometeram a investir em pesquisas científicas para criar políticas ambientais, como habitação e conflitos de terra; práticas sustentáveis na agroindústria; invasão de espécies estrangeiras através da agricultura ou de reflorestamento, poluição marinha ou terrestre, e superexploração de recursos naturais.

Além do G7 (EUA, Alemanha, França, Japão, Reino Unido, Canadá e Itália), o acordo também foi assinado pela União Europeia, Chile, Fiji, Gabão, México, Níger e Noruega.

** Com informações do jornal O Globo