Justiça mantém perguntas do MPF em perícia sobre poluição do rio

(Foto: Reprodução)

O Ministério Público Federal assegurou que terá respondidas as perguntas feitas aos peritos que irão analisar eventual dano ambiental no Rio Cubatão, provocado por resíduos de mercúrio, provenientes exclusivamente das atividades da indústria Carbocloro S/A Indústrias Químicas.

A Procuradoria Regional da República da 3ª Região rebateu a alegação da Carbocloro de que os quesitos “são tendenciosos e induzem o perito a afirmar a existência de dano”.

Em 2010, o Ministério Público Federal obrigou a Carbocloro a recuperar e indenizar os danos irrecuperáveis na confluência com o Rio Perequê, e no estuário, até 2005, quando foram instalados filtros nas instalações da indústria.

Em relação aos resíduos de mercúrio que foram transferidos para aterros de terceiros, o MPF pede que a ré mantenha um fundo para assegurar a remoção dos poluentes por ela depositados nos aterros onde atualmente se encontram para um aterro industrial em área própria.

** Com informações do Racismo Ambiental