Cuidado ao alimentar seu pet!

(Foto: Reprodução)

Risotinho de frango, tropeirinho de carne, cordeirinho na moranga… O cardápio dá água na boca, mas não é para o seu bico.

Os pratos são opções oferecidas por empresas que se dedicam a produzir comida caseira para cães e gatos.

A ideia parece ter cada vez mais simpatizantes, mas responde por só 1% do mercado de alimentação para pets.

Por trás da estatística estão famílias que querem oferecer ao animal algo mais saudável, sem corantes e conservantes. O problema é quando elas fazem isso por conta própria e transformam o suposto benefício em risco.

Cães, por exemplo, não devem comer cebola e alho, pois ambos podem induzir a destruição das células vermelhas do sangue e causar anemia. E, se há histórico de cálculo renal, eles não devem ingerir beterraba e vegetais de folhas escuras, como couve.

Gatos são carnívoros e precisam de dietas à base de proteína. Para eles, o aminoácido ‘taurina’ é fundamental e deve ser oferecido na alimentação, sob o risco de o déficit levá-los à cegueira e a problemas cardíacos.

Parece fácil, mas não é. E, a longo prazo, o animal pode adoecer por falta de nutrientes.

Ao ler isso tudo, talvez você pense que, quando era criança, tudo que alimentava a sua família acabava também no pote dos animais.

É verdade, mas naquela época eles também não viviam tanto.

Fonte: UOL