O aquecimento climático e o arroto do Boi

Duas notícias publicadas, uma da Agência Lusa, outra na Folha de SP, apresentam a mesma preocupação: o homem é o fator que desencadeia os estragos no planeta. O mundo está se tornando uma grande frigideira e a trajetória de subida da temperatura calculada está entre 2,9 a 3,1 graus até 2100, informa o Climate Action Tracker (CAT), organismo que analisa as emissões e compromissos paralelamente às negociações da Conferência de Paris sobre o Clima. As emissões de gases de efeito estufa chegam atualmente a cerca de 50 gigatoneladas.

Somos o maior exportador de carne bovina mundial. O gado ocupa mais de dois milhões de km², sendo 700 mil deles na Amazônia, de forma ineficiente segundo reportagem de Marcelo Leite, da Folha de São Paulo. Como o Brasil se alinhou aos Estados Unidos, segundo maior emissor de poluentes, além das emissões de motores e chaminés, temos que nos preocupar também verdadeiramente com arrotos e flatulências dos nossos bovinos.

Se somos o que comemos, como dizem, com o gado não é diferente. Enquanto ruiminam os bichos produzem o metano (CH4), um dos piores gases do efeito estufa, com 21 vezes mais capacidade de reter calor na atmosfera do que o CO2.

Cada rês produz em média 53 kg de metano por ano (115 milhões de tCO2eq, correspondente à poluição produzida por 115 milhões de carros 1.0 rodando 20 mil km por ano). Essas informações são dos pesquisadores Britaldo Silveira Soares-Filho, do Centro de Sensoriamento Remoto, e Fabiano Alvim Barbosa, da Escola de Veterinária, ambos da UFMG, entrevistados por Marcelo Leite, da FSP. Eles mostram que dá para reduzir todo esse monstruoso e fedorento panorama, com confinamento melhor, grama de qualidade, recuperação de pastagens e outras boas práticas.

Os arrotos cairiam para 40,3 kg/ano, 13 kgs a menos por cabeça, segundo eles, nas projeções futuras. Ao invés de 40 meses para abatimento, seria possível fazer em 24, ou seja, 16 meses  desestimulando arrotos e gases metano na atmosfera, nos cenários construídos pelos pesquisadores. O governo precisa estudar essas ideias e levá-las ao campo, já que somos o país do agronegócio.

Sobre a Conferência do Clima

Apenas 56 países, responsáveis por cerca de 65% das emissões mundiais que produzem o efeito estufa, entregaram os suas metas de redução à ONU. Entre os dez importantes emissores que não assumiram compromisso estão Índia, Irã, Indonésia, Arábia Saudita, África do Sul, Tailândia, Turquia, Ucrânia e Paquistão e, sem surpresa, o Brasil.

Saiba mais: