Rondônia vai abater cerca de três mil búfalos

(Foto: Reprodução)

Os búfalos, animais altamente reprodutivos e de vida longa, podendo alcançar 30 anos de vida, foram abandonados à própria sorte no Vale do Guaporé. Eles chegaram a Rondônia em 1953, para desenvolver a agropecuária. Mas isso não prosperou, não dóceis, se tornaram selvagens, sem controle. Desde 1995, os bichos espalharam-se pela Reserva Biológica Guaporé, unidade de conservação federal criada em 1982 com 617 mil hectares; e a Reserva Extrativista Pedras Negras, com 124.409 hectares, criada em 1995.

Agora o Plano de Manejo de Búfalos no Vale do Guaporé, elaborado por 28 técnicos de 13 instituições dos governos estadual e Federal, aponta impacto significativo sobre o ecossistema da região causado pelos animais que

O governo de Rondônia tem o propósito de exterminar cerca de três mil búfalos. A Rebio Guaporé concentra espécies animais em extinção. Os técnicos do Ibama descreveram os principais danos ambientais ocorridos com o pisoteio e pastagem das manadas de búfalo, um animal de grande porte que pode chegar a três metros de cumprimento. Habitam a Rebio Guaporé as espécies com origem na India (Jafarabadi) e Filipinas (Carabao), que ultrapassaram as fronteiras da fazenda Pau d’ Óleo em razão da ausência de programação das finalidades a que se destinavam; aumento do rebanho; manejo inadequado e burocracia na transferência dos animais.

Ainda não se sabe o que pensam os deputados sobre a necessidade de cumprir medidas que possam atender o enunciado contido na lei que estabelece o SNUC e outros suportes legais, mas o secretário-adjunto de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Francisco de Sales, tem feito sua parte.