Uma parceria na vida

(Foto: iStock)

São inúmeras as pistas e sugestões para uma Boa Vida que encontramos espalhadas, não só pelo reino animal todo, mas também pelo vegetal. Na Natureza localizamos vários ensinamentos de preservação, de luta pela sobrevivência e orientações repletas de sabedoria.

Para focalizar uma determinada circunstância e exemplificar melhor esse argumento, tomo as lições dadas por tantos animais. Na evolução da nossa convivência com diferentes espécies, devemos avaliar com atenção certas questões, principalmente no que tange nosso convívio com bichos de estimação.

Os costumes da nossa sociedade nos levam a ter maior convivência com os animais domesticados. São os queridos animais de estimação: principalmente cães e gatos, grandes companheiros; ainda que, de certos tempos para cá, a porta tenha se aberto para a entrada de coelhos, hamsters, chinchilas, periquitos e até porquinhos, além de outros bem mais excêntricos: literalmente cobras e lagartos.

O contato com os “pets” e suas formas de comportamento e reação pode revelar inúmeros aspectos, que deveríamos tomar como modelo, compreender melhor e seguir.

No terreno afetivo, observando a fêmea reagir à corte do macho, temos noção de como isso funcionaria na realidade humana. O jogo amoroso se estabelece com o macho procurando e a fêmea negando: a insistência leva à entrega.

Conheço pessoas que seriam mais bem sucedidas se não ignorassem tal dinâmica. Quando, sem maior conhecimento ou aprofundamento afetivo, a mulher imediatamente aceita a corte, abre um precedente perigoso de esvaziamento de interesse, de simplificação e perda de graça.

Por que não tomar como medida cães e gatos, sensíveis e espertos? Eles nos indicam a força da insistência, da dedicação, de tudo que valoriza a conquista – coisa para se viver com requinte de carinho e sabor.

Se você é dessas pessoas para quem falta a medida adequada, arrume um “pet” e aprenda com ele uma postura equilibrada, alinhada com o Natural, caminho para maior sucesso e felicidade.

Fonte: Terra