Nissan admite falsificação nas emissões de carros

(Foto: Pixabay)

A Nissan admitiu a alteração nos dados das emissões de gases poluentes e da economia de combustível em seus carros. A montadora japonesa tenta recuperar a confiança após testes voluntários de inspeção descobrirem falsificações no processo de produção, no ano passado.

A empresa afirmou que os testes de emissões “se desviaram do ambiente de teste prescrito” e que os relatórios de inspeção foram elaborados “com base em valores de medição alterados”.

“A Nissan também verificou novamente os dados de log para confirmar que todos os modelos sujeitos a testes de amostragem garantem as especificações de catálogo da Nissan para economia de combustível, significando que não há erros nos valores de economia de combustível divulgados pela Nissan”, acrescentou o comunicado.

Em outubro, a empresa retirou 1,2 milhão de veículos de circulação após admitir que funcionários sem autorização conduziram inspeções finais em alguns veículos.

A Nissan é uma das montadoras envolvidas no escândalo do Dieselgate, esquema descoberto, em 2015, por pesquisadores da Universidade de West Virginia (EUA), que detectaram diferenças em testes e emissões de carros. Na lista de empresas envolvidas estão: a Volkswagen e a Audi.

** Com informações da France Presse