Nível do mar sobe 2,5 vezes mais rápido do que no século 20

(Foto: Pixabay)

O impacto da mudança climática está colocando em risco desde a capacidade de explorar frutos do mar ao bem-estar das centenas de milhões de pessoas que vivem perto das costas, alerta novo relatório do Painel Intergovernamental sobre a Mudança do Clima (IPCC) das Nações Unidas.

O relatório analisa e compila as descobertas científicas mais recentes sobre a mudança climática, o oceano e a criosfera, água em estado sólido, como as geleiras.

Segundo os cientistas, os oceanos estão aumentando a temperatura desde 1970, absorvendo “mais de 90% do calor em excesso no sistema climático”, com ondas de calor marinho duas vezes mais frequentes desde 1982.

Esta alta na temperatura está reduzindo as populações de peixes em diversas regiões e os níveis de oxigênio dos oceanos. Enquanto o nível de acidez está em alta, fator que pode destruir os ecossistemas marinhos.

Até 2100, o aumento do nível do mar pode alcançar até um metro de altura, se nada for feito, e fazer milhões de moradores de áreas costeiras e ilhas migrarem para outras regiões.

De acordo com Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), dos EUA, o nível do mar está hoje 8 centímetros acima da média observada em 1993. Segundo a agência, desde 2011 se observou um aumento consecutivo nos níveis registrados.

Além disso, a combinação das águas mais quentes dos oceanos com o aumento no nível do mar pode tornar ciclones tropicais e inundações mais poderosos.

O relatório também projeta que o degelo do permafrost vai liberar mais de 1,5 mil gigatoneladas de gases de efeito estufa, quase o dobro do carbono que atualmente está na atmosfera.

Os cientistas afirmam que mudanças nas profundezas dos oceanos ou no alto das montanhas não são sempre perceptíveis, mas o que acontece nessas regiões terá efeito cascata no mundo.

O relatório completo do IPCC pode ser acessado clicando aqui.

** Com informações do New York Times