O futuro das hidrelétricas na Amazônia

O Organics News Brasil irá transmitir nesta terça- feira (29 de setembro) , o anúncio de um grupo de cientistas que analisou o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) da usina hidrelétrica São Luiz do Tapajós, prevista para ser construída no oeste do Pará.

O Tapajós, um dos últimos grandes rios que ainda correm livres de barragens na Amazônia, está em risco. O governo quer construir uma hidrelétrica nesse rio, numa região de imensa biodiversidade e de extrema importância para a conservação do bioma, com espécies que só são encontradas ali, e onde vive o povo Munduruku e diversas comunidades ribeirinhas. Assim, vai destruir um patrimônio ambiental e cultural que é de todos os brasileiros, e que pode ser perdido para sempre.

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Um grupo de nove pesquisadores de renomadas instituições analisou o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA), feito para avaliar a viabilidade ambiental da obra, e apresenta suas conclusões amanhã, no dia 29 de setembro, em Brasília, com a participação de representantes do Ministério Público Federal (MPF), do povo Munduruku e do Greenpeace.

A análise a ser apresentada é fundamental para embasar a atuação do MPF no acompanhamento jurídico que a instituição faz do projeto da usina e dos seus impactos socioambientais.

Estarão nesse evento representantes do MPF, pesquisadores que elaboraram a análise, representantes de indígenas Munduruku e representantes da organização não governamental Greenpeace (que viabilizou o estudo).

O streaming acontecerá amanhã, a partir das 9h30, nesse link:

https://www.youtube.com/user/greenbr/live