Óleo chega a dois ecossistemas de corais e pode atingir ES e RJ

(Foto: Instituto do Meio Ambiente/ Divulgação)

A Marinha confirmou que as manchas de óleo, que atingem o litoral do Nordeste, foram detectadas no Parque dos Abrolhos, na Bahia. Desde o início da semana passada, pescadores faziam uma força-tarefa para impedir que o petróleo chegasse ao Parque.

Com uma área de 48.899 km², a região é a única no Brasil totalmente protegida por ser considerada berço de baleias-jubarte e de espécies raras de corais. 

As baleias se reproduzem e amamentam na área entre julho e novembro. Segundo o Projeto Baleia Jubarte, os animais  migraram para outra localidade e não devem ter sido afetados pelo óleo.

O governo suspendeu a visitação de turistas ao local por três dias. Em nota, o chefe do Parque, Fernando Repinaldo Filho, informou que a suspensão é para implementar atividades de prevenção, controle e remoção do óleo, além de minimizar riscos a saúde pública.

Alagoas

Pesquisadores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) constataram a presença de uma grande quantidade de óleo em uma área de recife da Área de Preservação Ambiental (APA) Costa dos Corais, em Japaratinga, em Alagoas.

A Costa dos Corais é a segunda maior barreira de corais do mundo. Imagens feitas pelo grupo mostraram que o óleo se fixou no ecossistema. A Praia de Japaratinga foi uma das mais afetadas em Alagoas e está em situação de emergência.

Áreas atingidas

Entre o dia 30 de agosto e o último sábado (02), foram recolhidas mais de 4 mil toneladas de resíduos, segundo o Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA). As secretarias de Meio Ambiente dos Estados são responsáveis pelo descarte do material.

O grupo informou que Maragogi, Japaratinga, Barra de São Miguel, Coruripe, Feliz Deserto e Piaçabuçu, em Alagoas; Artista, em Sergipe; Arembepe, Berlinque, Barra Grande, Cueira, Pratigi, Alcobaça, Mar Moreno e Piracanga, na Bahia, ainda possuem vestígios de óleo.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) informou que o óleo pode chegar ao litoral do Espírito Santo e ao Rio de Janeiro.

“A hipótese do Inpe é de que há óleo em oceano aberto e que pode chegar até a costa de outros estados do país, incluindo o sudeste”, disse o oceanógrafo Ronald Souza, que lidera o grupo de pesquisas, em entrevista coletiva.

O oceanógrafo classificou como remota a possibilidade do óleo chegar a São Paulo por causa de características geográficas da costa brasileira.

** Com informações do G1 e da Agência Brasil