Países precisam triplicar esforços para conter o aquecimento global

emissão de gases de efeito estufa, carbono
(Foto: Pixabay)

As emissões de gases de efeito estufa atingiram 53,5 gigatoneladas de dióxido de carbono equivalente (GtCO2e) em 2017, um aumento de 0,7 GtCO2e após três anos de estabilidade, revela novo relatório da ONU Meio Ambiente divulgado nesta terça-feira (27) em Paris.

O documento leva em consideração as metas e intenções que os países do G20 apresentaram nas chamadas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs), que faz parte do seu compromisso com o Acordo de Paris.

As emissões globais de gases de efeito estufa (GEE) em 2030 precisam ser, aproximadamente, de 25% a 55% mais baixas do que no ano passado para limitar o aquecimento global.

Para isso, os países precisam triplicar os esforços para alcançar a meta até 2030, segundo os cientistas. Caso as emissões continuem subindo, a temperatura global poderá subir pelo menos 3ºC até o fim do século.

A Agência Internacional de Energia e o Global Carbon Project estima que as emissões globais de dióxido de carbono devem subir novamente em 2018.

De acordo com o relatório, os países do G20 não estão no caminho para cumprir as suas metas até 2030. Argentina, Austrália, Canadá, União Europeia, República da Coréia, Arábia Saudita, África do Sul e Estados Unidos não alcançaram as suas metas incondicionais. Já o Brasil, a China e o Japão estão avançando para alcançar as suas metas nacionais com a aprovação de políticas ambientais.

Há uma semana da 24ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que será realizada de 3 a 14 de dezembro, em Katowice, Polônia, o relatório também aponta que a revisão das ações no setor privado e o aproveitamento máximo do potencial de inovação e financiamento sustentável para atingir a meta de mitigação das mudanças climáticas pode ser reduzida.

** Com informações do G1