Petróleo continua a avançar e ameaça populações locais

(Foto: Reprodução Twitter Ricardo Salles)

A presença de óleo já foi registrada em 150 áreas de 68 municípios distribuídos nos nove estados da Região Nordeste, segundo último balanço do Ibama.

As manchas de óleo já atingem 12 unidades de conservação naturais e que precisam ser preservadas, como parques nacionais, estações ecológicas e reservas extrativistas.

A poluição ameaça a pesca de mais de 4 mil pessoas e podem afetar a vida de animais marinhos, como o peixe-boi. Segundo comerciantes, houve uma queda de até 40% no movimento das praias desde o início da contaminação.

Reportagem da Folha de S.Paulo revelou que vilas na Bahia e no Sergipe estão ameaçadas. Em Conde (BA), o óleo já forma poças de mais de um metro e em Siribinha (BA), as manchas chegaram aos rios, aos manguezais e estão nas patas dos siris e caranguejos.

Uma investigação do governo federal aponta que o óleo que está poluindo as praias têm a mesma origem, mas ainda não é possível afirmar de onde ele veio.

** Com informações do G1