Repercussões do acordo Brasil-Estados Unidos para o clima

WWF Brasil – De acordo com o coordenador do Programa Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil, André Nahur, um dos pontos importantes do acordo, apesar de insuficiente, foi a meta de 28% a 33% de sua matriz energética por fontes alternativas renováveis de energia até 2030. “O anúncio não cria um cenário muito diferente do atual. Para o Brasil é pouco, pois basicamente mantem o que temos hoje de 28,6%. Por outro lado, o anúncio de aumentar para 20% a geração de energia elétrica por fontes renováveis que não hidroelétricas é importante e cria uma possibilidade de expansão de geração solar, eólica e biomassa, explorando o imenso potencial brasileiro. Apesar deste pequeno avanço, consideramos que o Brasil ainda poderia chegar a 33% da sua matriz elétrica com outras fontes renováveis criando um grande potencial econômico social e ambiental para o país”.

 

El Pais – as duas potências firmaram um conjunto de acordos, de melhorias para estimular o comércio até um compromisso sobre gases do efeito estufa, que os dois líderes destacaram. Tanto Obama como Dilma Rousseff garantiram que seus países estão entre os primeiros que mais reduziram, em termos absolutos, emissões de CO2. E acreditam que irão mais longe.

 

New York Times – a presidente brasileira, Dilma Rousseff, juntou-se o presidente Obama ao anunciar acordos para enfrentar a mudança climática .Separadamente, a China comprometeu-se a parar o crescimento das suas emissões de carbono .

 

BBC Brasil – destaca seis resultados da visita de Dilma nos Estados Unidos  e ressalta que a viagem ocorreu em um momento delicado no Brasil, em meio a uma crise econômica e política, e, se a retomada das relações foi o tema principal, outras questões também ganharam destaque.

 

Reuters Brasil – destaca a declaração do conselheiro sênior da Casa Branca Brian Deese aos jornalistas, lembrando que a meta sobre energia renovável vai exigir que os Estados Unidos tripliquem sua parcela de renováveis em sua matriz energética até 2030 e que o Brasil duplique sua parcela.

 CNN – destacou que Obama e Dilma Rousseff iniciam um novo capítulo nas relações EUA-Brasil

http://http://edition.cnn.com/videos/us/2015/06/30/obama-rousseff-brazil-usa-white-house-bts.cnn