Revista científica acusa Trump de mentir sobre Covid e meio ambiente

Donald Trump
(Foto: Reprodução/ Youtube)

A revista científica Scientific American anunciou o seu endossamento ao candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, diante da “negação” do presidente Donald Trump em relação às mudanças climáticas e ao Covid-19. Esta é a primeira vez em 175 anos que a publicação se posiciona sobre um candidato a eleição.

Em nota, a publicação afirma que foi obrigada a tomar a decisão, já que “evidências e a ciência mostram que Donald Trump prejudicou gravemente os EUA e o seu povo, porque ele rejeita as evidências e a ciência”.

Segundo a revista, “Trump mentiu repetidamente ao público sobre a ameaça mortal da doença”, “quando ele sabia que era mais letal e altamente transmissível”.

“O exemplo mais devastador é sua resposta desonesta e inepta à pandemia COVID-19, que custou a vida a mais de 190.000 americanos em meados de setembro. Ele também atacou proteções ambientais, cuidados médicos e os pesquisadores e agências de ciência pública que ajudam este país a se preparar para seus maiores desafios”, disse em nota.

“Em sua contínua negação da realidade, Trump tem prejudicado os preparativos dos EUA para a mudança climática, alegando falsamente que ela não existe e retirando-se dos acordos internacionais para mitigá-la. A mudança climática já está causando um aumento nas mortes relacionadas ao calor e um aumento em tempestades severas, incêndios florestais e inundações extremas”.

Em contrapartida, o democrata Joe Biden propõe o investimento de US$ 2 trilhões em energia limpa até 2035, reduzir as emissões de carbono até 2050, preparou planos para controlar o Covid-19 e restaurar o papel da ciência legítima. Além de solicitar expertise e transformar esse conhecimento em propostas de políticas sólidas.

Para a Scientific American, Biden oferece planos baseados em fatos para proteger a saúde, a economia e o meio ambiente, e que “podem colocar o país de volta no caminho para um futuro mais seguro, mais próspero e mais justo”. Por isso, pede o voto dos americanos no candidato democrata.

Clique aqui para ler o artigo completo da revista

Incêndios florestais

Os incêndios florestais que atingem a Califórnia, o Oregon e em Washington podem impactar o resultado da eleição. Desde agosto, foram queimados 2 milhões de hectares e matou 36 pessoas nos três estados.

Durante visita a área queimada na Califórnia, o presidente Donald Trump afirmou, nesta terça-feira (15), que os incêndios são resultado da gestão pobre da floresta pelo governo estadual e não da mudança climática. “Vai começar a resfriar, você vai ver. Não acho que a ciência saiba [sobre o aquecimento global”, disse. “Eu acho que é mais um problema de gestão”.

Trump também alegou que outros países não lidaram com o mesmo nível de incêndios florestais, apesar dos grandes incêndios na Austrália e na Amazônia. “Eles não têm problemas como este”, afirmou.

O atual presidente dos Estados Unidos ainda questionou a atuação de outros países no combate às mudanças climáticas. “A Índia vai mudar os seus hábitos? A China vai mudar os seus hábitos? E a Rússia?”.