Seca aumenta número de queimadas no Centro-Oeste

floresta pegando fogo, queimadas
(Foto: Pixabay)

Até outubro, a seca atinge os níveis mais altos e têm piorado a situação das queimadas nas regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e parte do interior do Nordeste. Entre janeiro e agosto, foram registrados mais de 52 mil focos no país.

Apenas nos dois primeiros dias de setembro, o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal recebeu 135 chamados de incêndios. No mês passado, foram contabilizadas 1.274 ocorrências, em média, 41 casos por dia.

Um dos incêndios foi registrado na região do Centro Cultural Banco do Brasil, perto da Ponte JK. O fogo atingiu uma área onde há descarte de lixo e se aproximou de áreas residenciais e rodovias da capital federal.

Em abril, o governo do DF decretou estado de emergência pelo risco de incêndios florestais até novembro, quando as queimadas diminuem por causa das chuvas.

Com a situação de emergência, a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e outros órgãos públicos e poderão fazer compras emergenciais, sem licitação.

Ainda neste mês, o governo instalou o Centro Integrado Multiagências de Cooperação Operacional (Ciman), formado por órgãos de vários ministérios com reuniões diárias para acompanhar a situação em todo o país.

** Com informações do G1 e jornal Destak