Socorro israelense já trabalha no resgate em Brumadinho

(Foto: Divulgação/ Bombeiros de Minas Gerais)

Até o momento, 192 pessoas foram resgatadas com vida, 60 pessoas morreram e 292 pessoas continuam desaparecidas na tragédia de Brumadinho (MG). Um ônibus foi encontrado, mas ainda não se sabe o número de corpos.

Segundo o tenente e porta-voz dos bombeiros, Pedro Aihara, as equipes trabalham em 14 áreas prioritárias de busca e ainda acreditam que é possível encontrar sobreviventes.

As equipes de busca tem apoio de 136 militares de Israel para encontrar sobreviventes. O plano é utilizar tecnologia para detectar sinais de aparelhos celulares, que permanecem ligados, mas pouco provável. Sonares serão usados para localizar os corpos que permanecem submersos entre 3 e 4 metros abaixo dos rejeitos.

A expectativa do governador de Minas, Romeu Zema, é que a tecnologia aumente a possibilidade de encontrar sobreviventes no local.

Multas

A Justiça mineira determinou o terceiro bloqueio de valores da Vale desde o rompimento da barragem. A empresa terá que pagar R$11 bilhões para ressarcir danos e perdas de forma geral, sendo R$5 bilhões para garantir reparação de danos causados às vítimas.

O bloqueio representa 45% do valor do caixa da mineradora no fim de setembro e a decisão liminar foi proposta pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Além disso, o Ibama já multou a Vale em R$250 milhões pelos danos ambientais.

Em nota, a Vale afirmou que está focada no atendimento aos atingidos de Brumadinho e não deliberou sobre a questão dos dividendos. “Tal decisão deve levar em conta a expectativa futura de geração de caixa e vai ser tomada no seu devido tempo”.

Nesta segunda-feira (28), a mineradora anunciou a suspensão do pagamento de dividendos e juros a acionistas e de remuneração variável bônus aos executivos da empresa.

O presidente da Vale, Fabio Schvartsman,  anunciou a criação de dois comitês independentes, “coordenados e compostos por maioria de membros externos”.

O primeiro será dedicado as providências destinadas à assistência às vítimas e à recuperação da área atingida pelo rompimento da barragem e, o segundo, para apuração das causas e responsabilidades pelo rompimento da barragem.

O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo Barcelos, classificou a Vale como “incompetente e irresponsável” e afirmou que a mineradora deveria ter aprendido a lição com a tragédia em Mariana.

** Com informações do Valor Econômico, Agência Brasil e G1