Vaticano publica mais de 200 ‘mandamentos’ para proteção ambiental do planeta

(Foto: Unsplash)

O Vaticano lançou o “Caminhando em direção ao cuidado de nosso lar comum: cinco anos depois de Laudo Si”, um documento com 200 novas diretrizes para combater o aquecimento global e alertar sobre os perigos da degradação ambiental.

Esse é o primeiro endosso do Vaticano à campanha mundial de desinvestimento de combustíveis fósseis. A publicação também celebra o aniversário de cinco anos da encíclica Laudato Si do Papa Francisco, que pede a união dos países contra as mudanças climáticas.

Desenvolvido pela tabela interdicasterial da Santa Sé sobre ecologia integral, o documento convida o mundo a tornar as energias renováveis acessíveis a todos e pede uma reforma dos subsídios aos combustíveis fósseis e tributação das emissões de dióxido de carbono (CO2).

No ano passado, o relatório final do Sínodo da Amazônia já recomendava o desinvestimento em combustíveis fósseis, e na ocasião, o Papa Francisco emitiu a primeira declaração de um pontífice sobre o tema.

Além disso, o documento pede a promoção de uma agricultura “diversificada e sustentável” e que apoia pequenos produtores, de uma educação alimentar saudável, combater a apropriação de terras e os grandes projetos agroindustriais que poluem o ambiente.

Dom Fernando Vérgez Alzaga, um dos autores do documento, ressalta que para superar os desafios ambientais é preciso investir em educação, ambos são essenciais. “O desafio ambiental é inseparável do educacional. Desde os primeiros anos de vida, a pessoa deve aprender a aumentar a consciência de suas responsabilidades. Isso significa que a ação deve ser ambientalmente sustentável e solidária, começando primeiro pela família. Uma “cidadania ecológica” é indispensável, na qual os membros da família, mas também aqueles cuja sociedade é caracterizada, tendem a cuidar da criação por meio de pequenas ações diárias que se transformam em estilo de vida”, diz no documento.

Em maio, 42 instituições em 14 países anunciaram seu compromisso de eliminar o uso de combustíveis fósseis, como fonte de energia. As comunidades religiosas criaram 400 ações em um total de mais de 1.200 iniciativas em todo o mundo.