Agricultura climate-smart atrai investidores estrangeiros

(Foto: Unsplash)

A agricultura alinhada com os desafios das mudanças climáticas no Brasil atrai cada vez mais investidores estrangeiros, revela novo estudo da Alimi Impact Ventures, que mapeou os agentes e instrumentos de financiamento.

O estudo focou em práticas agrícolas que favorecem o clima, desconsiderando investimentos em tecnologias neutras, como drones e softwares.

O levantamento apurou que, entre 2015 e 2017, o capital investido na agricultura inteligente em relação ao clima somou US$ 360,9 milhões, mas estima-se que esse valor já tenha ultrapassado US$ 1 bilhão.

No Brasil, os investidores privados investiram US$ 31,4 milhões na agricultura entre de 2014 a 2015 e esperam um retorno de 12%, uma taxa bastante interessante para investidores internacionais.

A agricultura climate-smart permite que os produtores brasileiros se alinhem ao crescente mercado de produtos sustentáveis e rastreáveis. “Junto com o risco climático, mitiga-se também o risco das cadeias produtivas, demonstrado exemplarmente nos últimos eventos com a pecuária brasileira.  Com a crescente dependência de mercados internacionais, o agribusiness brasileiro precisa enfrentar os riscos ambientais, que estão no topo da agenda dos consumidores e também dos investidores”, alerta Angélica Rotondaro, líder da pesquisa.

O mercado brasileiro é considerado um dos lugares mais promissores para os títulos verdes florestais e agrícolas. Entre junho de 2015 e setembro de 2017, foram vendidos US$ 3,6 bilhões em títulos verdes no país, sendo 24% (US$ 864 milhões) usados ​​para levantar capital no setor florestal e agrícola.