Alimentar o planeta de forma sustentável dependerá de inovação

(Foto: Pixabay)

A adoção de tecnologia para garantir a alimentação do planeta não depende apenas dos trabalhos nos laboratórios, mas depende de uma relação de múltiplos atores envolvidos. A conclusão é de um estudo feito por 48 cientistas de 13 países, que foi publicado na revista Nature Food.

Os sistemas produtivos devem ser vistos em sua totalidade da produção no campo até a gestão de desperdício nas casas, passando pela indústria, trabalhadores, investidores, governos e consumidores.

“A simples melhoria incremental contínua – como pequenos aumentos nas produções de lavouras, criações e indústrias – não será suficiente para tornar os sistemas alimentares globais capazes de alimentar a crescente população mundial de maneira sustentável. Em vez disso, será necessária uma transformação radical do sistema alimentar”, afirma o pesquisador da Embrapa Maurício Antônio Lopes, único brasileiro a participar do estudo.

Os pesquisadores reconhecem que a transformação dos sistemas alimentares não será totalmente através da inovação tecnológica.

Os esforços para acelerar as mudanças tecnológicas devem estar alinhados com os processos políticos e sociais, já que muitas tecnologias apresentam forte potencial de promover mudanças importantes.

Apesar do caminho ser complexo, vale a pena empreender. A adoção simultânea de várias tecnologias pode levar a avanços na sustentabilidade, redução de desperdício de alimentos, melhorias no bem-estar humano e a criação de novas oportunidades locais de negócios, muitos ligados à bioeconomia.

Os pesquisadores listam oito fatores capazes de acelerar a transformação do sistema alimentar mundial aumentando sua produtividade e garantindo sua sustentabilidade: construção de confiança; transformação de mentalidades; adesão social e diálogo com os atores envolvidos; garantias de políticas e de regulamentações para as mudanças; criação de incentivos para o mercado; proteção contra efeitos indiretos indesejados; estabilidade no financiamento e desenvolvimento de vias de transformação.