Área de produção orgânica cresce no Distrito Federal

produção de orgânicos
Imagem ilustrativa (Foto: jcomp Freepik)

A produção de alimentos orgânicos e agroecológicos passou de 314 hectares (ha), em 2018, para 466 hectares, em 2019, no Distrito Federal, segundo dados do relatório Valor Bruto da Emater-DF.

Dos 466 hectares, 60 ha são usados para o cultivo de alface. No espaço também é cultivada mandioca (35 ha), banana (34 ha), brócolis (27 ha), cenoura (23 ha) e batata-doce (20 ha).

A coordenadora de Agroecologia da Emater-DF, Isabella Belo, avalia o crescimento como resultado da conscientização dos produtores sobre os benefícios dos orgânicos para a saúde da família, do consumidor e do meio ambiente. 

Outro benefício é a possibilidade de produzir diferentes culturas juntas e a integração entre produção animal e vegetal, de forma que se aproveite o esterco dos animais para adubar a terra. Entretanto, o custo de produção ainda é um dos desafios iniciais por exigir mais do produtor até que a propriedade seja adaptada.

Segundo Belo, 263 produtores no Distrito Federal são certificados. Outros estão em fase de conversão do convencional para o orgânicos ou agroecológico.

Neste último caso, Isabella explica que são produtores que aplicam algumas práticas agroecológicas dentro da propriedade e que não desejam ser orgânicos.