Cinco países se comprometem com a segurança alimentar mundial

Da esquerda para direita: o secretário de Agricultura e Desenvolvimento Rural do México, Victor Villalobos; o secretário de Agroindústria da Argentina, Luiz Miguel Etchevehere; ministra Tereza Cristina; a ministra da Agricultura e Alimento Agrícola do Canadá, Marie-Claude Bibeau; e o secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue (Foto: Divulgação MAPA)

Representantes do Brasil, Argentina, México, Canadá e Estados Unidos se comprometeram defender a segurança alimentar e o comércio agrícola, com base em princípios científicos e de análises de risco”.

O encontro ocorreu em Niigata, no Japão, paralelamente à Reunião dos Ministros de Agricultura do G20.

O principal desafio para o agronegócio é conseguir produzir alimentos suficientes para alimentar os quase 10 bilhões de pessoas em 2050, com apoio tecnológico de ponta.

Leia abaixo o comunicado Conjunto dos Líderes de Agricultura do Hemisfério Ocidental

“Juntos, comprometemo-nos a trabalhar em parceria e em conjunto com outros países para apoiar abordagens regulatórias baseadas em risco e ciência, previsíveis, consistentes e transparentes. Nossas cinco nações reconhecem que inovações no setor agrícola contribuem para melhorar a produtividade – inclusive de pequenos produtores, de jovens fazendeiros e de mulheres da área rural – de forma segura e sustentável e, também, para a capacidade de nossos países de atender à crescente demanda global por alimentos. Com a população mundial projetada para alcançar 9,8 bilhões em 2050, ciência e inovação terão papel chave para permitir que produtores agrícolas alimentem a todos de forma segura.

Como líderes agrícolas do Hemisfério Ocidental, nós afirmamos nossa intenção de trabalhar juntos em defesa do comércio agrícola global, baseado em princípios científicos e análises de risco. Também afirmamos nossa intenção de permitir aos produtores acesso às ferramentas necessárias para: aumentar a produtividade; reduzir perda e desperdícios de alimentos; proteger o solo, a água e a biodiversidade; e produzir alimentos seguros, nutritivos e acessíveis durante todo o ano para o benefício da população mundial.”

** Com informações do MAPA