Embrapa lança semente de cenoura orgânica e curso sobre PANCs

cenoura
(Foto: Louis Hansel/ Unsplash)

Pesquisadores da Embrapa Hortaliças lançaram oficialmente, nesta terça-feira (07), a cenoura BRS Paranoá, a primeira semente do mercado nacional desenvolvida exclusivamente para a produção orgânica, durante a AgroBrasília.

“A BRS Paranoá foi desenvolvida para atender o mercado de sementes orgânicas e para que pequenos produtores consigam agregar valor ao seu produto. E com isso, se tornem competitivos no mercado”, disse Agnaldo Carvalho, engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa.

Para Carvalho, a nova cenoura possui duas características principais: resistência e alta produtividade. A BRS Paranoá possui elevada resistência as doenças folheares, como a Queima das Folhas, principal doença que atinge a cenoura e que pode causar a perda de 100% da produção. Ainda possui índices de desfolha inferiores a 10%, valor considerado insignificativo em relação a sua produtividade.

A cenoura também tem elevada produção para o sistema orgânico, com capacidade de produzir, pelo menos, 30 toneladas, sem a aplicação de nenhum produto fitossanitário. Além de atender ao padrão comercial com 16 a 22 centímetros (cm) de comprimento e 3 cm de diâmetro, cilíndrica, lisa e alaranjada.

A BRS foi desenvolvida para o cultivo de primavera-verão, principalmente, entre outubro e março nas regiões produtoras de cenoura do Brasil. Com colheita de 90 dias após a semeadura.

Apesar do mercado de cenouras orgânicas ainda ser pequeno, a tendência é de crescimento com o aumento da procura por alimentos mais saudáveis, avalia Agnaldo Carvalho.

A semente da BRS Paranoá está em fase de multiplicação pelas empresas produtoras de semente licenciadas: Agristar do Brasil, Isla Sementes, Agrocinco e Bionatur Sementes Agroecológicas. A venda comercial da semente estará disponível para venda em 2021.

Curso

A Embrapa também lançou hoje o curso gratuito “Produção de hortaliças PANC para consumo doméstico”, para o público que deseja plantar as Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) em seu quintal, varanda ou pequenos estabelecimentos rurais.

Com duração de 12 horas, o curso abordará as características nutricionais de diversas hortaliças, como produzir, colher e controlar pragas e doenças. Além de apresentar receitas para introduzir as PANCs na alimentação.

“Com a pandemia, veio essa demanda. Muitas pessoas queriam fazer horta em casa e de aprender o manejo dessas espécies pouco convencionais e que não tem informação disponível sobre como cultivar diversas espécies”, explicou Nuno Madeira, engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Hortaliça.

Segundo o pesquisador, a Embrapa possui um catálogo com 400 variedades de quase 100 espécies de PANCs para conservar o seu genoplasma.

Para se inscrever no curso, acesse: https://www.embrapa.br/e-campo