Justiça alemã aceita causa contra empresas por mudanças climáticas

(Foto: EPA)

A Justiça da Alemanha considerou admissível a ação de um agricultor peruano contra a multinacional de energia e gás natural RWE pelas mudanças climáticas que afetam os Andes.

A RWE, que explora água e gás na região, seria corresponsável por 0,5% das emissões de dióxido de carbono do mundo, número baseado em um estudo da britânica Carbon Market Data.

Luciano Lliuya pede para a empresa alemã US$ 20 mil para construir um sistema de proteção contra enchentes em Huaraz, cidade de 130 mil habitantes ameaçada pelo aumento do nível de um lago, por causa do derretimento de glaciares. Além disso, quer um ressarcimento de US$ 6.384 pelas obras que já fez por conta própria.

O Tribunal de Apelação de Hamm, Alemanha,  verificou por meio de peritos se as afirmações do peruano. Em primeira instância, o Tribunal de Essen, onde fica a sede da multinacional, julgou infundado o processo.

A RWE diz alega que faz esforços para reduzir as emissões em suas operações. Lliuya, 37 anos, é auxiliado pela ONG ambientalista alemã Germanwatch e participou, em novembro, da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2017, a COP23, realizada em Bonn, na Alemanha. “Esse é um grande sucesso não apenas para mim, mas para o povo de Huaraz e de todos os lugares do mundo ameaçados pelo risco climático”, declarou após a decisão do Tribunal de Hamm.

Fonte: Agência ANSA