Os benefícios da agroecologia para o desenvolvimento rural

solo, planta, agroecologia
(Foto: Freepik)

A Agroecologia não é apenas um sistema de cultivo, é o conhecimento sobre agricultura passado entre gerações, que valoriza os pequenos produtores e preserva a biodiversidade, além de produzir alimentos saudáveis.

Os benefícios da Agroecologia e a sua relação com o desenvolvimento rural sustentável do Brasil foram abordados em uma live na Feira Agrotecnológica do Tocantins (Agrotins) 2020, a primeira grande feira agrotecnológica do país em formato totalmente digital.

A especialista em desenvolvimento rural, Prof. Dra. Thainá Zanetti explicou que o desenvolvimento é confundido com o crescimento econômico, que prejudica a natureza e a saúde da população. E isso não é verdade.

Ela ressalta que, para o desenvolvimento rural se conectar com o crescimento econômico sustentável, é preciso pensar em todos os fatores que envolvem a produção, como é feito pela Agroecologia.

“A agroecologia é uma agricultura cheia de cultura, porque dentro de um ecossistema temos a ação do homem e dos seres humanos com a natureza e a relação com o meio ambiente deve ser respeitosa”, disse.

“As práticas são sistêmicas, ou seja, tudo está interligado. Se colocarmos o agrotóxico na terra, por exemplo, ele vai passar da terra para o ar, a água, para os outros seres e todos vão ser impactados com isso. A agroecologia repensa a ação do homem na natureza e em como usar a terra de forma biodiversa.”, complementou Dra Thainá.

A pesquisadora ressalta que ao pensar na relação entre agroecologia e desenvolvimento rural devem ser levados em consideração três fatores.

O primeiro é manter o agricultor na sua terra de forma digna e com qualidade de vida, por meio de políticas de fortalecimento e para incentivar a transição para a agroecologia.

O segundo é capacitar o produtor para trabalhar em novas lógicas de mercados, que estão se abrindo para produtos orgânicos e agroecológicos, já que as condições de um produto convencional e um sustentável são diferentes.

E o terceiro fator, é conscientizar o consumidor para que ele compre esses produtos, principalmente, em relação ao preço. “Estamos acostumados a pagar mais barato por produtos de commodities e quando chega um produto feito artesanalmente, o consumidor tem que entender que o produto tem valor agregado, de pessoas que estão se dedicando a manter a natureza em pé”, afirmou.

Orgânicos x Agroecológico

A distinção de mercados de produtos agrícolas também impacta os produtores de orgânicos e agroecológicos. A Prof. Dra. da CEULP-ULBRA, Conceição Previero, afirma que a principal diferença entre os dois sistemas é a utilização de tecnologia. Enquanto a agroecologia é uma ciência que se pratica, absorve diferentes ciências, tem um olhar multidisciplinar. Os orgânicos têm uma produção mais simplificada e com um sistema de certificação que regulamentam o cultivo no país.

“É preciso ter tecnologia diferente da convencional para ter o atendimento da produção. A agroecologia tem diferentes formas e sistemas, que vêm sendo praticadas por comunidades tradicionais. Todo o contexto tem que acontecer de uma forma sinérgica e para prosperar, deve ter a valorização do homem do campo, do pequeno agricultor”, disse.

Assista abaixo a apresentação na íntegra: