Pesquisa descobre como ampliar o uso da fixação biológica de nitrogênio no feijão

(Foto: Ederson C. Jesus/ Embrapa)

Pesquisadores da Embrapa Agrobiologia descobriram que proteínas presentes nas folhas do feijoeiro-comum podem ser usadas como indicadoras da ocorrência de fixação biológica de nitrogênio (FBN) no feijão.

As proteínas extraídas das folhas do feijoeiro foram analisadas por técnicas avançadas de identificação em larga escala, conhecida como proteômica.

A metodologia atual para detecção da FBN pressupõe uma combinação de métodos que envolvem a coleta de nódulos e a aplicação de técnicas microbiológicas e isotópicas de alto custo, com resultados nem sempre robustos. O uso dessas proteínas vegetais como marcadoras da FBN poderá resultar em um procedimento muito mais fácil, rápido e barato para os programas de melhoramento do feijoeiro.

Ao todo, foram identificadas 338 proteínas, sendo que quatro delas foram selecionadas como possíveis candidatas para identificar genótipos de alta resposta à inoculação com rizóbios.

Os pesquisadores pretendem buscar novas estratégias para maximizar a FBN no feijão Apesar de a técnica ter o potencial de suprir aproximadamente 70% do nitrogênio requerido pela planta, nem sempre isso ocorre no campo, sendo necessário o aporte de fertilizante nitrogenado, o que encarece a produção e aumenta a emissão de gases de efeito estufa. No caso dos agricultores familiares, muitos dos quais não usam fertilizante, a consequência muitas vezes é a baixa produtividade.

O estudo ainda está no início e mostra-se promissor. A descoberta permitirá a criação de uma metodologia rápida, fácil e barata para detecção de FBN em programas de melhoramento de feijão.

A pesquisa integra uma estratégia para identificar novos genótipos capazes de impulsionar o uso da FBN com o feijão no país. A técnica já é usada em 85% das lavouras nacionais de soja e gera uma economia anual de mais de US$ 8 bilhões por dispensar a aplicação de fertilizantes nitrogenados. A adoção da FBN nas lavouras de feijão é em torno de 15%.