Quase 400 agricultores foram prejudicados por barragem

(Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

Cerca de 400 produtores rurais em Brumadinho e outros locais próximos ao Rio Paraopeba, por onde está passando a lama da barragem, estima a Federação da Agricultura de Minas Gerais (Fetaemg).

Segundo o Ministério da Agricultura, apenas em Brumadinho, 180 propriedades rurais foram impactadas. Na região são produzidas, principalmente, frutas e hortaliças, mas há também criadores de gado leiteiro, galinhas e porcos.

A contaminação do Rio Paraopeba pelos rejeitos vai inviabilizar a pesca esportiva do peixe dourado, um dos mais procurados antes da tragédia.

Técnicos da Emater-MG e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) farão um levantamento para identificar a produção dos municípios prejudicados.

“Em Brumadinho, estamos trabalhando com dados cadastrais e de georreferenciamento da produção. Já os produtores que ficam nos municípios a jusante e às margens do rio Paraopeba também irão receber visitas e orientação [de técnicos] sobre a impossibilidade de irrigação. Vamos buscar os dados de análise de água para que possamos orientar os produtores sobre a qualidade da água”, explicou Ana Valentini, secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Segundo a Secretaria, o trabalho será feito em Brumadinho e nos municípios que ficam no trecho onde os rejeitos da barragem possam atingir a água do rio Paraopeba: Betim, Cachoeira da Prata, Caetanópolis, Curvelo, Esmeraldas, Felixlândia, Florestal, Igarapé, Inhaúma, Juatuba, Maravilhas, Mário Campos, Papagaios, Pará de Minas, Paraopeba, Pequi, Pompeu, São Joaquim de Bicas e São José da Varginha.

O rompimento da barragem em Brumadinho já deixou 99 mortos, 192 pessoas foram resgatadas e 259 pessoas ainda permanecem desaparecidas.

** Com informações do Globo Rural