Terras urbanas podem cultivar alimentos para 15% da população

agricultores colocando uma muda de planta
(Foto: Freepik)

O cultivo de frutas e legumes em 10% dos jardins e em outros espaços verdes urbanos pode fornecer alimentos a 15% da população local, revelou um estudo publicado na Nature Food.

A pesquisa analisou o potencial da horticultura urbana através do mapeamento de espaços verdes e cinzentos da cidade de Sheffield, na Inglaterra.

Os pesquisadores descobriram que os espaços verdes, incluindo parques, jardins, loteamentos, margens da estrada e bosques, cobrem 45% do município e 38% são hortas domésticas, que têm potencial imediato para começar a cultivar alimentos. Outros 15% a mais de espaço verde também tem potencial para ser convertido em hortas ou lotes comunitários.

Se o espaço total fosse usado para o cultivo de alimentos, a quantidade de alimentos é suficiente para alimentar, aproximadamente, 709 mil pessoas por ano.

Em uma versão mais realista do estudo, uma conversão de 10% dos jardins domésticos e 10% do espaço verde disponíveis, e a manutenção da atual área de terra, poderiam fornecer frutas e vegetais suficientes para 15% da população da cidade, cerca de 87,375 pessoas.

Segundo os pesquisadores, se o estudo for colocado em prática, pode melhorar significativamente a segurança alimentar do país. Atualmente, apenas 16% das frutas e 53% dos vegetais vendidos no Reino Unido são cultivados na Inglaterra.

O estudo também analisou o potencial da agricultura em telhados planos, usando métodos como a hidroponia e a aquaponia.

O Reino Unido importa 86% de sua oferta total de tomate, mas se 10% dos telhados planos identificados no centro de Sheffield se tornarem fazendas de tomate sem solo, seria possível crescer o suficiente para alimentar mas de oito por cento.