Agronegócio sustentável é destaque no Plano Safra 2020/2021

(Foto: Carolina Antunes/ PR)

O governo federal lançou, nesta quarta-feira (17), o Plano Safra 2020/2021, que terá R$236,3 bilhões em financiamentos para apoiar pequenos, médios e grandes produtores da agropecuária nacional. O valor tem um aumento de R$13,5 bilhões em relação ao plano anterior.

De acordo com o governo, o plano será distribuído em três vertentes: R$33 bilhões para agricultores familiares do Plano Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e R$33,20 bilhões para médios agricultores (Pronamp).

Os outros R$170,17 bilhões serão destinados para demais produtores e cooperativas, sendo R$179,37 bilhões para custeio e comercialização, e R$56,92 bilhões para investimentos em infraestrutura.

O plano incentivará à produção sustentável, com mais recursos e melhores condições de financiamento, a juros mais baixos. O Programa para Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC), que é a principal linha para financiamento de técnicas sustentáveis, terá R$ 2,5 bilhões em recursos com taxa de juros de 6% ao ano, uma ampliação de R$ 400 milhões.

Os produtores ainda terão acesso à linha ABC Ambiental, com recursos para restauração florestal, voltada para contribuir com a adequação das propriedades rurais ao Código Florestal. A taxa de juros é de 4,5% ao ano.

Também há incentivos à adoção de tecnologias relacionadas aos bioinsumos dentro das propriedades rurais e pelas cooperativas. Os produtores podem acessar pelas modalidades de custeio, para aquisição de bioinsumos, na montagem de biofábricas dentro das propriedades. Os recursos estão previstos no Inovagro e, no caso dos investimentos em biofábricas, podem chegar a 30% do valor de todo o financiamento.

Outra novidade é o Pronaf-Bio, voltado para apoiar as cadeias produtivas da bioeconomia.

“Semear, plantar, cuidar, esperar florescer e enfim colher os frutos da terra é e sempre será algo essencial e belo. Uma atividade totalmente ligada à natureza só pode ter como caminho a busca da sustentabilidade”, disse a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

A ministra também destacou a importância do agronegócio brasileiro durante a pandemia de Covid-19, que manteve o abastecimento em todo o país e honrou os compromissos com seus parceiros comerciais.

“A agropecuária é uma atividade nobre. Acredito que agora, depois de enfrentarmos essa pandemia, nós, brasileiros, saberemos valorizar mais quem está no campo e faz chegar à nossa mesa comida farta e de qualidade”, disse.

Para saber mais sobre o Plano Safra 2020-2021, clique aqui.

Assista abaixo o lançamento do Plano: