Certificadora BCS Öko-Garantie muda estratégia para o Brasil visando crescer 50% no segundo semestre

A certificadora BCS Öko-Garantie do Brasil, especializada no segmento de orgânicos, anuncia mudanças na estratégia para o mercado nacional para ampliar serviços e crescer 50% no segundo semestre, com reposicionamento de serviços, alteração da diretoria e mudança de sede, de Piracicaba (SP) para Florianópolis (SC).

Tradicional e pioneira na certificação na Alemanha, a BCS foi fundada em 1990, e em 1992 – no auge das discussões sobre meio ambiente, foi a primeira empresa licenciada para aplicar o regulamento ecológico da União Europeia. Conta com projetos ativos em mais de 80 países e tem sede em 40 deles. Certifica 450.000 produtores e 3.000 empresas processadoras, exportadoras e importadoras em todos os níveis da agricultura orgânica. Atua no Brasil desde o ano 2.000, em especial nos setores de café, mel, frutas e agroindústrias desses setores.

 Em agosto de 2014, a certificadora alemã foi comprada pelo grupo holandês Kiwa, uma das maiores empresas especializadas em proteção ambiental, possibilitando ampliar muito seu leque de serviços.

“Hoje, fazemos parte das 20 maiores empresas de certificações do mundo, podemos oferecer aos clientes mais serviços de certificação e por conta disso, estamos mais competitivos. Com a chegada do Grupo KIWA nossa expansão será na oferta de novos serviços como as certificações industriais; além de estarmos na fase final para o credenciamento na legislação brasileira de orgânicos, onde vamos começar a atuar agora no segundo semestre. A mudança de sede para Florianópolis também atende à demanda da região sul. Nossa meta é crescer 50% com a nova plataforma de serviços”, explica Marcelo Farias, gerente geral da KIWA BCS Brasil, que assumiu a direção da empresa dia 3 de junho.

A BCS Öko-Garantie do Brasil certifica desde a semeadura da matéria prima até a prateleira nos supermercados, integrando os processos de acreditação, aceitos por agências certificadoras globais como: Naturland (IFOAM), Bioland, Demeter, Bio Suisse, Soil Association, COFCC (China), USDA, JAS (Japão), Fair Trade, GOTS (Têxtil), entre outras.

Executivos da Kiwa e BCS Öko-Garantie prestigiam nova fase no Brasil

Os principais executivos do Grupo estarão no Brasil de 9 a 14 de junho, para acompanhar o novo momento da BCS Brasil e prestigiar o fundador da certificadora, Peter Grosh, que será palestrante no Fórum Internacional de Agricultura Orgânica e Sustentável na BioBrazil Fair | Biofach América Latina. Também outros executivos, como: o gerente da Kiwa BCS República Dominicana, Sr. Gerardo Navarro Flores (com amplo conhecimento em Agroecologia), o gerente da Kiwa para América Latina e Espanha (Juan Cardona Esbri), o coordenador da BCS para América latina (Hansjög Goetz) estarão em Florianópolis, amanhã – dia 09, para agenda com o presidente e alguns Diretores da Epagri; com o superintendente do Ministério da Agricultura de Santa Catarina e participam simbolicamente da reunião ordinária da CPOrg – SC.

Na Epagri, empresa pública vinculada ao Governo do Estado de Santa Catarina por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, que presta mais de 350 mil assistências anuais a agricultores familiares, pescadores artesanais e comunidades indígenas e quilombolas; a KIWA BCS apresentará seu novo portfólio e espera estabelecer um convênio de cooperação. No Ministério da Agricultura, o Grupo apresentará os planos de investimento e o desejo de parceria com a Comissão de Produção Orgânica do Estado de Santa Catarina (CPOrg-SC).

A presença de Peter Grosh acontece num momento especial para a equipe, pois além de ter sido o pioneiro na certificação regulamentada da agricultura orgânica na Alemanha e fundador da BCS Öko-Garantie detentor da primeira matrícula de controle germânico (código DE-ÖKO-001), Grosh vem ao Brasil para falar sobre as oportunidades do Brasil orgânico para o mundo e a importância da equivalência de certificações.

“Não pensamos em crise. Esse setor cresce dois dígitos todos os anos e o setor de orgânicos movimentou R$ 2 bilhões no Brasil em 2014. Mudar a sede para Florianópolis, uma cidade que inspira a meio ambiente e onde a agroecologia está muito presente, é o primeiro passo da expansão. Santa Catarina é um estado empreendedor e com grande potencial, tanto na agricultura quanto na indústria. É um estado que tem cultura de exportação e de agregação de valor. Temos excelentes relações com vários setores da economia, além de Florianópolis ser a melhor capital do Brasil para empreender”, relata Marcelo Farias.