Bioplástico da Braskem é reconhecido como caso transformador no Brasil pela ONU

(Foto: Reprodução Braskem)

O polietileno I’m green™ bio-based da Braskem foi reconhecido pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Brasil do Pacto Global como um dos casos mais transformadores em desenvolvimento sustentável no Brasil, na categoria Indústria & Energia.

A produção de plástico de origem renovável da Braskem completa uma década neste ano. Produzido em escala industrial na cidade de Triunfo (RS), em 2010, a iniciativa conferiu à companhia liderança mundial no mercado de biopolímeros, com capacidade para fabricar anualmente 200 mil toneladas do material.

No caso do polietileno I’m green™ bio-based, um dos principais diferenciais é a contribuição para a redução de emissão dos gases do efeito estufa, ao capturar mais de 3 toneladas de CO2 para cada tonelada produzida. O material mantém, ainda, as mesmas propriedades, desempenho e versatilidade do plástico convencional, de origem fóssil, podendo ser inserido nas mesmas cadeias de produção e reciclagem existentes.

Atualmente, o polietileno I’m green™ bio-based já está presente em mais de 150 marcas no mundo, incluindo embalagens e produtos para os mais diversos segmentos, como alimentos e bebidas, de higiene pessoal e de bens duráveis.

“É fundamental que todos, setores público e privado e a sociedade em geral, revejam suas formas de atuar, produzir e consumir. O mundo tem questões urgentes que colocam em risco a existência humana, como o aquecimento global e o uso desenfreado de recursos naturais. A partir do nosso propósito de melhorar a vida das pessoas, nós buscamos constantemente inovar e conscientizar toda a nossa cadeia de valor para estas questões. Acreditamos no potencial da economia circular para o avanço da sustentabilidade e o plástico de origem renovável é uma das nossas entregas nesse sentido”, afirma Mateus Schreiner Garcez Lopes, responsável por Inovação em Tecnologias Renováveis.

Recentemente a empresa ampliou o portfólio I’m green™, que passou a reunir toda a linha de produtos de economia circular da companhia, como as resinas renováveis e as soluções produzidas a partir de plástico reciclado e as aplicações que utilizam ambas soluções (reciclado e renovável).

No campo da reciclagem química, um dos maiores desafios da indústria do plástico, a Braskem também segue realizando estudos com apoio de universidades e centros de pesquisa para desenvolver tecnologias que ampliem as alternativas atuais da reciclagem mecânica, transformando resíduos plásticos, como sacola de mercado e filmes de embalagens, em matéria-prima novamente.

“Verde, inclusiva e integra. Esse é o modelo de retomada que o Brasil precisa para que o novo normal traga um país sustentável. Nossa natureza nos traz uma vantagem comparativa inigualável, biodiversidade, matriz energética, entre outros”, reforça Carlo Pereira, diretor executivo do Pacto Global no Brasil.