Microsoft se compromete a ser carbono negativa até 2030

prédio da MIcrosoft
(Foto: Matthew Manuel/ Unsplash)

O Presidente da Microsoft, Brad Smith, anunciou que a empresa de tecnologia se comprometeu a zerar o desperdício nas suas operações diretas, nos produtos e em embalagens até 2030.

“Reconhecemos a urgência de proteger os ecossistemas mundiais e reduzir as emissões de carbono que vêm da criação, distribuição e eliminação de resíduos. É por isso que, hoje, anunciamos o nosso objetivo de atingir zero”, disse o executivo em nota.

Os resíduos que seriam desperdiçados serão reutilizados, reaproveitados ou da reciclagem de sólidos, compostos, eletrônicos, construção e demolição, e resíduos perigosos.

A Microsoft também criará Centros Circulares para reutilizar e redirecionar servidores e hardware nos datacenters, eliminará plásticos descartáveis de embalagens e usará tecnologias para melhorar o controle de resíduos.

Ainda serão feitos novos investimentos nos fundos da Closed Loop Partners e os próprios funcionários serão orientados para reduzir seus volumes de resíduos.

A expectativa da Microsoft é que pelo menos, 90% dos resíduos sólidos sejam destinados a aterros sanitários e incineração dos campus e datacenters da empresa, que a fabricação dos dispositivos Surface seja 100% reciclável, uso de embalagens 100% recicláveis e que seja atingido, no mínimo, 75% de desvio de resíduos de construção e demolição para todos os projetos, até 2030.

A iniciativa tem como base as iniciativas contínuas de redução de resíduos que tiveram início em 2008 e resultaram nas certificações de zero desperdício do Puget Sound Campus e datacenters em Boydton, Virgínia (EUA), e Dublin, Irlanda.