Montadoras alemãs são acusadas de cartel para driblar emissões de gases poluentes

(Foto: Pixabay)

Dois anos após a Volkswagen admitir que violou os resultados dos testes de emissão de gases poluentes na Europa e nos Estados Unidos, montadoras alemãs são acusadas de se reunirem, desde a década de 1990, para discutir detalhes técnicos dos sistemas de emissão de gases dos veículos. O caso está sendo investigado por autoridades da União Europeia.

A BMW, Daimler e o Grupo Volks são acusadas de concordarem em usar tanques pequenos de AdBlue, uma solução de uréia usada para neutralizar as emissões dos motores a diesel. Porém, até o momento não há indícios de que as empresas concordaram em fixar o preço dos produtos finais.

A investigação está sendo feita pelo Diretorado de Concorrência sob o comando da diretora Margrethe Vestager, que já enfrentou grandes empresas como o Google e a Apple.

Para o deputado belga Philippe Lamberts, apesar de a Alemanha exercer uma grande influência na União Europeia, o Diretorado fará uma investigação dura e correta.

“Conhecendo-a, eu aposto que ela terá coragem [de processá-los]. É uma oportunidade para ela mostrar que não está apenas agindo contra empresas americanas, mas também enfrentando ‘campeãs’ europeias [que desrespeitam as regras]”, disse o deputado ao jornal Financial Times.

Se condenadas pela União Europeia por formação de cartel, as empresas serão multadas de acordo com a receita anual do produto em questão, a duração da infração e gravidade do delito. Segundo analistas da Exane BNP Paribas, a BMW pode ser multada em €8 bilhões, a Daimler em €14 bilhões e a Volkswagen, em € 19 bilhões.

Procuradas pelo jornal, a Volkswagen e a Daimler não quiseram comentar sobre o assunto. A BMW afirmou que não conspirou com as suas concorrentes.

** Com informações do jornal Financial Times