Pesquisa mostra que investidores esperam compromisso ambiental de empresas

(Foto: Rawpixel/ Freepik)

Duas pesquisas lançadas recentemente mostraram que a inclusão de medidas de sustentabilidade influencia a escolha de brasileiros na hora de comprar um produto e na escolha de investimento de gestores de hedge funds.

Hoje, seis em cada dez brasileiros esperam iniciativas muito mais consistentes das empresas para proteger o meio ambiente, mostrou a pesquisa “BCG Survey on Covid 19 and Environment”, publicada pelo Boston Consulting Group (BCG). O levantamento entrevistou mais de 3 mil pessoas em oito países.

Para 93% dos brasileiros, as questões ambientais são iguais ou mais preocupantes que as questões de saúde. O índice é maior que a média dos países analisados (76%).

Para Jorge Hargrave, diretor do BCG e especialista no tópico de mudanças climáticas, as empresas precisam acompanhar as mudanças de comportamento do consumidor e aplicar medidas que vão ao encontro dessa tendência. “O consumidor tem, mais do que nunca, o poder de exigir das empresas a adoção de práticas mais sustentáveis. As empresas que atenderem a essa demanda com mais rapidez terão mais chances de se destacar no curto e no médio prazos”.

A exigência da adoção de medidas sustentáveis pelos consumidores também se tornou um critério para investir em uma empresa.  Um número cada vez maior de investidores exige que os gestores de hedge funds incorporem fatores de sustentabilidade, como os ambientais, sociais e de governança, às atividades de investimento.

A constatação é do novo relatório da KPMG, “Investimento sustentável: acelerando sua evolução”. A pesquisa foi realizada com 135 investidores institucionais, gerentes de hedge fund e gerentes de investimentos em títulos de longo prazo, de 13 países, que juntos totalizam 6,25 trilhões de dólares em ativos.

O estudo mostrou que os investidores esperam que os gestores de ativos proporcionem retornos financeiros atraentes e, ao mesmo, tempo considerem os riscos ambientais e sociais associados aos investimentos.

“A forma tradicional de investimento que leva em conta apenas o risco e o retorno está sendo reformulada para incluir os fatores ambientais, sociais e de governança. Na indústria de hedge fund, esses aspectos deixaram de ser algo interessante para ser uma obrigação”, afirmou o sócio-líder de gerenciamento de ativos da KPMG no Brasil, Lino Júnior.

Cerca de 45% dos investidores institucionais agora alocam os investimentos em hedge funds que consideram estes três fatores. 15% dos gestores de hedge funds afirmaram que as empresas que presidem estão no estágio “maduro”, no qual os fatores ambientais, sociais e de governança estão sendo incorporados. Outros 44% estão no estágio “em andamento” e 31% ainda estão no estágio de “aumento da conscientização”. Os 10% restantes estão no estágio de “nenhuma adoção até o momento”.

Covid

O estudo do Boston Consulting Group também constatou que a adoção de práticas mais sustentáveis foi acelerada pela pandemia do Covid-19. Em âmbito global, 70% dos entrevistados estão mais conscientes sobre os impactos e as ameaças provocadas pela degradação ambiental aos seres humanos, em comparação ao período pré-crise.

Aproximadamente, 40% pretendem incorporar condutas sustentáveis na rotina, enquanto um terço dos entrevistados já realizam essas ações regularmente. Para 54%, a recuperação econômica e a abordagem das questões ambientais devem ser igualmente priorizadas.

“O cuidado com o meio ambiente também é observado na esfera individual. Além de esperar um compromisso maior das empresas com questões ambientais, as pessoas também revelaram uma preocupação maior em agregar mais práticas sustentáveis no dia a dia”, afirma Hargrave.

O levantamento ainda indica que a população brasileira está quase tão preocupada com a poluição quanto com questões de saúde, com 80% extremamente receosos com doenças infecciosas, ao mesmo tempo em que 72% têm o mesmo sentimento em relação à poluição atmosférica.