Vivo se torna empresa neutra em emissão de carbono

(Foto: Divulgação Vivo)

A empresa de telefonia Vivo antecipou a sua meta global de 2050 para 2020 e se tornou neutra em carbono, ou seja, agora compensa todas as emissões diretas de gases de efeito estufa (GEE).

Em nota, a operadora telefônica reduziu pela metade as emissões de CO2 em 2019, com o uso de energia renovável. Outras iniciativas contribuíram na redução de emissões, como a redução na frota de veículos de 6.900 para 5.600 para visitas técnicas, compartilhamento de veículos entre as áreas da empresa e o teste de bicicletas elétricas em alguns atendimentos.

A empresa também adquiriu seus primeiros carros elétricos e passou a usar biocombustível, o que reduziu as emissões dos veículos em 25% e o restante foi compensado através da compra de créditos de carbono convertidos em projetos de proteção socioambiental.

Desde 2012, a Vivo faz inventário de emissões de gases de efeito estufa, que permitem identificar na empresa as fontes dos poluentes e quantificá-los, segundo Ana Letícia Senatore, gerente de Sustentabilidade da Vivo. “Há também os contratos de geradoras de energia, os certificados de compra de energia renovável e os créditos de carbono.”

A Vivo planeja reduzir as impressões em papel em 70% até 2021. Desde o ano passado, 25 milhões de clientes usam fatura digital e 19 milhões de contratos foram emitidos também no formato digital, evitando o uso de 340 milhões de folhas de papel.