Como as desigualdades podem impactar a recuperação econômica do Brasil

Conferência Ethos 2020
(Foto: Reprodução)

A ampliação das desigualdades no mercado de trabalho, decorrentes da paralisia econômica gerada pela pandemia do coronavírus e a recessão, estarão em análise no painel: Desigualdades, postos de trabalho e novos vulneráveis – como esse legado pode atrasar o crescimento e a recuperação?, que acontece no dia 24 de setembro, às 19 horas como parte integrante da programação da Conferência Ethos 2020, ao vivo no canal do Ethos no YouTube.

Estudo da Rede de Pesquisa Solidária apontou, em abril de 2020, que a recessão ampliaria a desigualdade entre homens e mulheres, brancos e negros, e que a vulnerabilidade, em torno de desocupação, desemprego e renda, poderia atingir grupos anteriormente estáveis das classes médias, com formação superior e até de elevado status socioeconômico.

Além dos efeitos nocivos sobre as parcelas mais pobres da população, hoje sabemos que muitos segmentos foram afetados no país. O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial convergem na defesa de gastos sociais e no uso de política fiscal para aumentar a inclusão, o bem-estar e a governança ambiental.

Como a sociedade, governos e empresas poderão enfrentar essa situação, onde o que se configura são portas fechadas, observando o legado para os jovens, o agravamento da precariedade nas famílias e a pirâmide da desigualdade no Brasil, que afetam todo ciclo econômico?

Acompanhe o diálogo sobre possíveis caminhos! Para não perder nada, inscreva-se no canal do Ethos no YouTube.