Integridade e transparência na pauta da primeira Conferência Ethos em Recife

(Foto: Instituto Ethos)

A agenda de integridade também será um dos pontos a ser dialogado na Conferência Ethos 360º em Recife, que acontece na próxima terça-feira, dia 15 de outubro, no Museu Cais do Sertão.

Três painéis que abordarão assuntos referentes a pauta de integridade, ética e transparência são destaques da primeira Conferência Ethos no Nordeste. Programas de integridade corporativos: casos e estratégias de implantação, com a participação de Fábio Martinho de Moraes, gerente de compliance do Grupo Neoenergia; e, Abelardo Jorge Lopes, auditor da Controladoria Regional da União no Estado de Pernambuco, é o painel que compartilhará experiências positivas de empresas que estruturaram programas de compliance.

O painel Integridade e transparência: práticas e cultura que não combinam com o corporativismo contará com Luciana Grassano de Gouvêa Melo, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Procuradora do Estado de Pernambuco; Vera Barbosa, sócia-diretora da Gemas Consultoria; e, Evaldo Silva Araujo, coordenador do Fórum Permanente de Combate à Corrupção (FOCCO/PE – Tribunal de Contas da União).

Nesta conversa, os participantes irão dialogar sobre o efeito negativo do corporativismo quanto a mobilização de interesses e influência nas políticas públicas em favor de um determinado grupo, gerando prejuízo para a gestão pública na perspectiva orçamentária da qualidade dos serviços públicos, da ineficiência, dos desperdícios e dos avanços das desigualdades que inibem o crescimento da economia.

E ainda, Integridade e combate à corrupção: os custos e os ganhos para o desenvolvimento econômico, que contará com a participação de Camila Oliveira, sócia de Queiroz Cavalcanti Advocacia, irá avaliar os avanços e amadurecimentos das áreas de integridade no setor privado na última década, dentre outras questões.

“Buscamos, a partir desses cenários, ampliar o leque de entendimento de que a agenda de integridade vai além do combate à corrupção, é transversal em todas as agendas: meio ambiente, diversidade, diretos humanos, economia e também na gestão (privada ou pública)”, destaca Caio Magri, diretor-presidente do Instituto Ethos.

Índice de Transparência no Nordeste

A transparência é fundamental enquanto direito, mas é especialmente importante quando utilizada para fins de controle social e contribuição para a construção de políticas públicas mais efetivas.

Na avaliação do Índice de Transparência, realizada em 2015, Recife obteve a pontuação de 53,81, sendo considerado um nível médio de transparência segundo a metodologia. O resultado foi o melhor das demais capitais do Nordeste. Ainda assim, é preciso que haja um acompanhamento constante para que a transparência seja um mecanismo efetivo.

SERVIÇO Conferência Ethos 360º Recife 2019

Quando: 15 de outubro de 2019

Onde: Museu Cais do Sertão

Endereço: Avenida Alfredo Lisboa, s/n – Recife Antigo

Inscrições: aqui

Mais informações: www.conferenciaethos.org/recife